Produção
de café

Picking

Método de colheita manual e seletivo das cerejas maduras, o que permite garantir uma excelente qualidade do produto final.

Striping

Método de colheita independente do estado de maturação. Este método pode ser manual ou mecânico e baseia-se na agitação dos ramos do cafeeiro.

1 Colheita

A colheita pode ser realizada pela forma manual - processo difícil e intensivo mas utilizado na maioria dos países, ou mecânica - realizada nos países com mais recursos.

2 Pós Colheita

O café pode ser processado de duas formas:

Via seca: as cerejas são espalhadas ao ar livre para secarem ao sol ou num secador mecânico até atingirem uma humidade de cerca de 11%. Os grãos são posteriormente transportados para os locais de armazenamento. Este método é mais utilizado nos países produtores de robusta.

Via húmida: utilizado maioritariamente nos países produtores de arábicas, as cerejas são descascadas e despolpadas mecanicamente e fermentadas em tanques. Na fase final os grãos são sujeitos a um processo de lavagem.

3 Transporte

O café é transportado em contentores por via marítima e rececionado nas instalações em sacos de juta ou sizal, acondicionados em paletes, num local protegido e com um sistema de controlo de pragas. Este tipo de armazenamento permite uma conservação ideal do produto, mantendo as condições do ambiente apropriadas com uniformidade de ventilação, temperatura e humidade.

4 Limpeza, Calibração e Ensilagem

Ainda em verde os grãos de cada origem são sujeitos a um processo de limpeza e verificação, sendo colocados em silos individualmente.

5 Blend

O blend vulgarmente designado por lote é a conjugação de diferentes origens de café verde, numa percentagem pré-definida. O objetivo é juntar origens com características diferenciadas, procurando juntar num só lote toda a riqueza individual dos cafés provenientes de várias regiões do mundo.

1. Secagem
do grão que se caracteriza pela redução significativa da humidade.

2. Pirolise
caracterizada por reações químicas complexas.

3. Transformação dos percursores
nos compostos finais do café torrado.

4. Arrefecimento
até o grão atingir a temperatura ambiente.

5. O café já torrado é colocado em silos de pré-
-embalamento.

6. A intensidade da torra está associada ao perfil da bebida.

6 Torra

Durante a torra, o grão é colocado num tambor em movimento constante atingindo temperaturas de cerca de 200 °C, fazendo com que a sua humidade interna chegue abaixo dos 3%.

7 Embalamento

O café pode ser embalado em grão, moído para máquinas filtro, moído para equipamentos de café expresso ou, mais recentemente, colocado em práticas pastilhas ou cápsulas.

8 Controlo de Qualidade

O controlo de qualidade tem início na recolha de amostras de café verde para análise. De seguida fazem-se análises para determinação do teor de água, contagem de defeitos, análise sensorial e pesquisa de eventuais contaminantes, entre outros. Durante a torra são recolhidas algumas amostras para verificação do grau de torra e humidade. Durante o embalamento são colhidas amostras de todos os lotes para controlo metrológico e verificação do processo de embalamento, análises
físico-químicas e análise sensorial.

9 Distribuição

Website otimizado para as versões mais recentes dos browsers.

Para uma melhor experiência de navegação atualize o seu browser.


Clique no ícone abaixo para aceder à página de download: